Print 

A Mó - Associação do Vale do Neiva

 

Manuel Delfim da Silva Pereira nasceu  em 12 de Dezembro de 1944, na vila de Barroselas. Frequentou o Seminário do Coração de Maria, nos Carvalhos entre 1958 e 1963, continuando os seus estudos no Colégio da mesma Ordem, onde se formou para lecionar trabalhos manuais. Mais tarde trabalhou como técnico de vendas para algumas editoras de livros.

Tudo tem um princípio e a Associação também o teve. E como todos sabemos, são os homens que dão corpo e vida a qualquer associação movimento ou grupo. 

Tudo começou quando o autor deste artigo veio para a sua terra e interessou-se por tudo o que era tradição e património. A carta que se segue é da autoria do fundador da Mó. Nela retrata acontecimentos e as razões que antecederam a formalização oficial da associação.

"E é no mês de Agosto de 1982, que vou até Portela de Susã fazer uma gravação de canções tradicionais a cerca de 10 senhoras e raparigas, e foi tal a minha satisfação ao ouvir cantar tão belas cantigas que fiz o convite a muitas delas, que aderiram com gosto, e assim nasceu «O Grupo Cantadeiras das Terras do Neiva» que faz a sua primeira actuação no dia 25 de Dezembro de 1982 na Casa do Povo de Barroselas. A partir daí não mais deixou de existir, levando a muitas terras do País as suas lindas cantigas. Sofreu algumas alterações, como sendo no trajo, o deixar a dança e saída de elementos.  

Houve contratempos que se venceram, e o nosso maior desejo é ter uma sede, e como na história dos homens surgem pessoas de boa vontade pode ser que apareça alguém. Actualmente o Grupo está com 17 elementos. E como uma corda puxa a outra começou-me a bailar na cabeça a ideia de fundar um jornal que cobrisse todo o Vale do Neiva a que pertencemos. A ideia foi transmitida a amigos, eles concordaram e apoiaram, pois também eles viam a necessidade de um Jornal em Barroselas e no Vale do Neiva. E é no Café Retiro do Souto que fazemos o nosso encontro.

Foram os primeiros a darem corpo à ideia; Marçal Almeida, Manuel Delfim «Necas» Ismael Carvalho, Aquilino Almeida, José Maciel, José Dias e Jaime Ribeiro. Houve uma série de reuniões, e no dia 15 de Janeiro de 1984 sai o primeiro número do «O VALE DO NEIVA». A partir daí não mais deixou de entrar na casa dos amigos assinantes, levando notícias, reparos, críticas, ensinamentos, defesa do património e ambiente. Todos estamos conscientes que não é fácil agradar a Gregos e a Troianos, e desafiamos quem o fizer. Depois deste meio de Comunicação estar a funcionar, houve elementos que saíram, mas outros novos entraram. E com novos elementos vieram ideias novas que viradas para a defesa do património e ambiente, dão corpo e vida ao «Eco Neiva».

Oficialmente é no 5 de Fevereiro de 1985, que Raimundo de Castro, Rogério Barreto e Olinda Maciel dão os primeiros exemplos dessa defesa. E é este grupo pequeno mas unido, que vai pensando legalizar todo este trabalho e entusiasmo. E foi no dia 30 de Outubro de 1987 que 12 elementos fazem a escritura da Associação. Esse momento foi para todos nós de alegria, pois viamos realizado um sonho do nosso esforço e dedicação à terra que nos viu nascer.

udo nos deu muito trabalho, «sem remuneração alguma», por isso todos devem apoiar as Associações deste tipo. A designação oficial ficou assim «A MÓ - Associação do Vale do Neiva» (Cultura, Património e Ambiente). A palavra «MÓ» tem para nós o significado de movimento, andamento e é o lema que nos orienta, não parar e sempre a girar. É também o símbolo dos nossos Moinhos e Azenhas do Rio Neiva. Uma vez oficializada a Associação, foi eleita uma Direcção, Assembleia e Conselho Fiscal, onde figuram todos os elementos da fundação desta Associação:

Direcção

Presidente - Manuel Delfim Silva Pereira

Vice-Presidente - Aquilino Miranda Almeida

Secretário - José Manuel Oliveira

Tesoureiro - Marçal Miranda de Almeida e Rogério Barreto

Assembleia-Geral 

Presidente - Adelino Queirós

Vice-Presidente - Raimundo de Castro

Secretário - Maria Emilia Monteiro e José Carlos Barbosa 

Conselho Fiscal

Presidente - Paulo Montes

Vogais - José Manuel Pacheco e Olindo Maciel

 

A partir de agora fica assim estruturada a organização:

«A MÓ— Associação do Vale do Neiva» com as seguintes secções a funcionar:

1.Etnografia - Grupo Cantadeiras das Terras do Neiva

2. Jornalismo - O Jornal O «Vale do Neiva»

3. Ecologia - Eco-Neiva.

 

Manuel Delfim da Silva Pereira 

15 de Janeiro de 1988

Barroselas

«A MÓ— Associação do Vale do Neiva», está aberta a todos os que queiram ajudar e participar, sejam de Barroselas ou de freguesias do Vale do Neiva.


Isto é um resumo simples, da já grande história que tem a Associação, pois quer queiram quer não já muita coisa é consultada nos jornais saídos e das recolhas feitas. Contamos com todos, é uma Associação jovem para jovens, e os jovens têm muito para dar. 

 

  

энциклопедия космоса