A Mó - Associação do Vale do Neiva

 

  •  O Fundador

Manuel Delfim da Silva Pereira nasceu  em 12 de Dezembro de 1944, na vila de Barroselas. Frequentou o Seminário do Coração de Maria, nos Carvalhos entre 1958 e 1963, continuando os seus estudos no Colégio da mesma Ordem, onde se formou para lecionar trabalhos manuais. Mais tarde trabalhou como técnico de vendas para algumas editoras de livros.

  • Origem

Tudo tem um princípio e a Associação também o teve. E como todos sabemos, são os homens que dão corpo e vida a qualquer associação movimento ou grupo. 

Tudo começou quando o autor deste artigo veio para a sua terra e interessou-se por tudo o que era tradição e património. A carta que se segue é da autoria do fundador da Mó. Nela retrata acontecimentos e as razões que antecederam a formalização oficial da associação.

"E é no mês de Agosto de 1982, que vou até Portela de Susã fazer uma gravação de canções tradicionais a cerca de 10 senhoras e raparigas, e foi tal a minha satisfação ao ouvir cantar tão belas cantigas que fiz o convite a muitas delas, que aderiram com gosto, e assim nasceu «O Grupo Cantadeiras das Terras do Neiva» que faz a sua primeira actuação no dia 25 de Dezembro de 1982 na Casa do Povo de Barroselas. A partir daí não mais deixou de existir, levando a muitas terras do País as suas lindas cantigas. Sofreu algumas alterações, como sendo no trajo, o deixar a dança e saída de elementos.  

Houve contratempos que se venceram, e o nosso maior desejo é ter uma sede, e como na história dos homens surgem pessoas de boa vontade pode ser que apareça alguém. Actualmente o Grupo está com 17 elementos. E como uma corda puxa a outra começou-me a bailar na cabeça a ideia de fundar um jornal que cobrisse todo o Vale do Neiva a que pertencemos. A ideia foi transmitida a amigos, eles concordaram e apoiaram, pois também eles viam a necessidade de um Jornal em Barroselas e no Vale do Neiva. E é no Café Retiro do Souto que fazemos o nosso encontro.

Foram os primeiros a darem corpo à ideia; Marçal Almeida, Manuel Delfim «Necas» Ismael Carvalho, Aquilino Almeida, José Maciel, José Dias e Jaime Ribeiro. Houve uma série de reuniões, e no dia 15 de Janeiro de 1984 sai o primeiro número do «O VALE DO NEIVA». A partir daí não mais deixou de entrar na casa dos amigos assinantes, levando notícias, reparos, críticas, ensinamentos, defesa do património e ambiente. Todos estamos conscientes que não é fácil agradar a Gregos e a Troianos, e desafiamos quem o fizer. Depois deste meio de Comunicação estar a funcionar, houve elementos que saíram, mas outros novos entraram. E com novos elementos vieram ideias novas que viradas para a defesa do património e ambiente, dão corpo e vida ao «Eco Neiva».

Oficialmente é no 5 de Fevereiro de 1985, que Raimundo de Castro, Rogério Barreto e Olinda Maciel dão os primeiros exemplos dessa defesa. E é este grupo pequeno mas unido, que vai pensando legalizar todo este trabalho e entusiasmo. E foi no dia 30 de Outubro de 1987 que 12 elementos fazem a escritura da Associação. Esse momento foi para todos nós de alegria, pois viamos realizado um sonho do nosso esforço e dedicação à terra que nos viu nascer.

udo nos deu muito trabalho, «sem remuneração alguma», por isso todos devem apoiar as Associações deste tipo. A designação oficial ficou assim «A MÓ - Associação do Vale do Neiva» (Cultura, Património e Ambiente). A palavra «MÓ» tem para nós o significado de movimento, andamento e é o lema que nos orienta, não parar e sempre a girar. É também o símbolo dos nossos Moinhos e Azenhas do Rio Neiva. Uma vez oficializada a Associação, foi eleita uma Direcção, Assembleia e Conselho Fiscal, onde figuram todos os elementos da fundação desta Associação:

Direcção

Presidente - Manuel Delfim Silva Pereira

Vice-Presidente - Aquilino Miranda Almeida

Secretário - José Manuel Oliveira

Tesoureiro - Marçal Miranda de Almeida e Rogério Barreto

Assembleia-Geral 

Presidente - Adelino Queirós

Vice-Presidente - Raimundo de Castro

Secretário - Maria Emilia Monteiro e José Carlos Barbosa 

Conselho Fiscal

Presidente - Paulo Montes

Vogais - José Manuel Pacheco e Olindo Maciel

 

A partir de agora fica assim estruturada a organização:

«A MÓ— Associação do Vale do Neiva» com as seguintes secções a funcionar:

1.Etnografia - Grupo Cantadeiras das Terras do Neiva

2. Jornalismo - O Jornal O «Vale do Neiva»

3. Ecologia - Eco-Neiva.

 

Manuel Delfim da Silva Pereira 

15 de Janeiro de 1988

Barroselas

«A MÓ— Associação do Vale do Neiva», está aberta a todos os que queiram ajudar e participar, sejam de Barroselas ou de freguesias do Vale do Neiva.


Isto é um resumo simples, da já grande história que tem a Associação, pois quer queiram quer não já muita coisa é consultada nos jornais saídos e das recolhas feitas. Contamos com todos, é uma Associação jovem para jovens, e os jovens têm muito para dar.